texto alternativo da imagem

PROJETO O PATINHO FEIO

Turma: 1° ano



JUSTIFICATIVA

O trabalho com contos clássicos torna a aula mais atrativa, dinâmica e mais
próxima da realidade dos alunos. Valoriza a língua como veículo de comunicação
e expressão das pessoas e dos povos, abrangendo o desenvolvimento da linguagem, da leitura
e da escrita.


OBJETIVOS:
Recuperar as histórias da primeira
infância; Preparar a criança para a aprendizagem da leitura e da escrita, de  maneira lúdica e criativa; Trabalhar
com a narração, com o corpo e a gesticulação, entonação e preparação do espaço a ser utilizado pelas
crianças, ampliando os vários sentidos  da narrativa; Garantir ainda uma
relação mais afetiva entre  professora e alunos e
facilitar uma melhor integração no  ambiente escolar; Refletir sobre os
princípios éticos, morais e culturais apresentados no vídeo, interligando-os com a  realidade atual, desenvolvendo a
habilidade da argumentação; Produzir textos diversos coletivamente (narrativos,
descritivos, bilhete, receitas, anúncios,); Explorar a linguagem oral e
escrita.

MATERIAL


– CD da história O Patinho feio
– CD da música O Pato
– VídeoTelevisão e DVD; Diversos (sulfite, lápis de cor,  giz de cera, cartolina,…).
– Sucatas diversas para confecção de fantoches

DESENVOLVIMENTO

– Apresentação do
livro: capa, material, título, editora, ilustrações.
– Ler a história toda
e mostrar as figuras;
– Apresentar a turma
um patinho, onde os alunos levarão para casa, e registrarão como foi o dia com
o patinho.
– Cuidar e observar o
patinho diariamente na sala de aula dar um nome ao patinho
Ouvir o CD;
– Interpretação oral:
os alunos contam a história, identifica os personagens, o tempo, o espaço que
acontece a história (Onde? Quando?);
– Contar diferentes
obras de diversos autores fazendo a comparação.
– Ouvir outras
histórias como; O Pato medroso;
– Assistir o filme: O Patinho feio
e fazer a comparação
com a história;
– Dramatização e teatro;
– Atividades orais e/ou escritas tais
como:
– Escrita de palavras com letras móvel
– Caça-personagens
– Cruzadinha
– Seqüência com tarjas (música)
– Reescrita coletiva do texto
– Frases enigmáticas;
– Cantar a música O Pato de
Vinícius de Maraes e Toquinho;
– Confecção de um livro;
TEMAS
TRANSVERSAIS

Ética: Diálogo, respeito
mútuo, responsabilidade,  cooperação, organização, solidariedade. Trabalho
coletivo, compartilhar
descobertas. Pluralidade Cultural: Educação – Diferentes formas de
transmissão de conhecimento: práticas educativas e educadores nas diferentes
culturas; Cidadania: Direitos e deveres individuais e coletivos.  Literatura e tradição: línguas,
dialetos, variantes e variação lingüística. HISTÓRIA GEOGRAFIA, CIÊNCIAS

ATIVIDADES: (DIRIGIDAS, ILUSTRADAS E/OU
ORALMENTE).

TEMA: FAMÍLIA, CASA, ANIMAIS, ALIMENTOS,
ZONA RURAL E URBANA,…

AVALIAÇÃO:
Os alunos serão avaliados no desempenho das
habilidades e competências utilizadas nas atividades escritas e orais.

O Patinho Feio e o valor do respeito
Um artigo do Gabriel Chalita para refletirmos sobre o valor do respeito
ao ser humano. O texto é baseado na história do Patinho Feio.
O Patinho Feio e o valor do respeito
Quem não conhece a história do Patinho
Feio? Quem nunca sofreu ou ao menos se comoveu com sua trajetória de sofrimento
apenas por ser considerado feio e estranho aos seus?
A riqueza da história de Hans Christian
Andersen reside na capacidade de nos tocar profundamente, de despertar em nos o
sentimento de amor ao próximo, de solidariedade e de respeito as diferenças. Na história, como na
vida real, o preconceito de cor, gênero, credo ou  classe social, prescinde de lógica e de
racionalidade para se estabelecer.
Não há alegação plausível, nem por
parte dos intolerantes, a capacidade de refletir sobre a importância do
outro como peça fundamental no jogo  social. Um jogo que necessita das
relações de troca, de amizade e de aprendizado que vem da convivência pacífica
entre todos, independentemente da origem ou da história de cada um.
Seja em casa ou na escola, temos o
dever de orientar nossas crianças para a aceitação do outro, para a compreensão
de que condutas preconceituosas só colaboram para a degradação das relações e da sociedade como um
todo. A mensagem de Andersen é clara: a despeito das experiências dolorosas, temos de continuar
acreditando em nós mesmos e também nos outros, mesmo que, a princípio, pareçam
tão diferentes. Temos de acordar para o fato de que todos podemos ser como cisnes belíssimos, prontos
para aproveitar a primavera e para viver uma vida pacífica e digna. A responsabilidade é
nossa.
Diz Gabriel Chalita: Devemos estar
conscientes da importância de nosso papel de amparar, reerguer, reavivar os
sentimentos, valores e atitudes que poderão renovar a confiança em dias melhores.
Que essa consciência seja uma realidade e um estímulo a vocês, companheiros de jornada,
colegas de cena neste teatro fabuloso que é a escola da vida.
(Fonte: Revista Profissão Mestre)

 

 

Cadastre-se e Receba as Postagens por Email

Digite seu Email:

Ao receber o 1º email do feedburner você precisa clicar no link para confirmar sua inscrição.

Siga-nos no Facebook

Be the first to comment

Leave a comment

Your email address will not be published.


*