texto alternativo da imagem

AS HIPÓTESES DA ESCRITA

 

Mesmo antes de saber ler e escrever convencionalmente, a criança tem suas próprias idéias de como ler e escrever.
Ao compreendermos que a criança chega à escola trazendo muitos “saberes” sobre leitura e escrita, construídos a partir das suas vivências, estamos possibilitando que ela faça leituras e escritas segundo suas possibilidades e de acordo com os conhecimentos que foram construídos até aquele momento.
As pesquisas realizadas por Emília Ferreiro mostram-nos que a criança aprende a ler e a escrever porque é desafiada a confrontar suas hipóteses sobre leitura e escrita com outras possibilidades (convencionais) que serão oferecidas pelo professor.
As pesquisas de Emília Ferreiro e Ana Teberosky apontam para as hipóteses que a criança constrói neste processo. Estas hipóteses estão descritas em seu livro ”A Psicogênese da Língua Escrita”:           .
HIPÓTESE PRÉ-SIlÁBICA:
CARACTERÍSTICAS:
– Escrever e desenhar têm o mesmo significado;
– Não relaciona a escrita com a fala;
– Não diferencia letras de números;
– Reproduz traços típicos da escrita de forma desordenada;
– Supõe que a palavra representa o objeto e não o seu nome;
– Acredita que coisas grandes têm um nome grande e coisas pequenas
Têm um nome pequeno (realismo nominal);
– Usa as letras do nome para escrever tudo;
– Não aceita que seja possível escrever e ler com menos de três letras;
– Leitura global: lê a palavra como um todo.
CONFLITOS VIVIDOS PELA CRIANÇA NESTA ETAPA:
– Que sinais-eu uso para escrever palavras?
– Conhecer o significado dos sinais escritos.
AVANÇOS:
– Diferenciar o desenho da escrita;
– Perceber as letras e seus sons;
– Identificar e escrever o próprio nome;
– Identificar o nome dos colegas;
– Perceber que usamos letras diferentes em diferentes posições.
ATIVIDADES FAVORÁVEIS:
– Desenhar e escrever o que desenhou;
– Usar o nome em situações significativas: marcar atividades, objetos,
utilizá-Io em jogos, bilhetes, etc;
– Ouvir leitura feita diária pela professora e poder recontá-Ia;
– Ter contato com diferentes portadores de textos;
– Freqüentar a biblioteca, banca de jornais, elc;
– Reconhecer e ler o próprio nome em situações significativas: chamadas, jogos, etc;
– Conversar sobre a função da escrita;
– Utilizar letras móveis para pesquisar nomes, reproduzir o próprio nome ou dos amigos;
– Bingo de letras;
– Produção oral de histórias;
– Escrita espontânea;
– Textos coletivos tendo o professor como escriba;
– Aumentar o repertório de letras;
– Leitura dos nomes das crianças da classe, quando isto for significativo.
– Comparar e relacionar palavras;
– Produzir textos de forma não convencional;
– Identificar personagens conhecidos a partir de seus nomes, ou escrever seus nomes de acordo com sua possibilidade;
– Recitar textos memorizados: parlendas, poemas, músicas, etc;
– Atividades em que seja preciso reconhecer a letra inicial e a letra final;
– Atividades que apontem para a variação da quantidade de letras;
– Completar palavras usando a letra inicial e final;
– Escrita de listas em que isto tenha significado: listar o que usamos na hora do lanche, o que tem numa festa de aniversário, etc.
HIPÓTESE SILÁBICA:CARACfERÍSTICAS:
– Para cada fonema, usa uma letra para representá-lo,
– Pode, ou não, atribuir valor sonoro à letra.
– Pode usar muitas letras para escrever e ao fazer a leitura, apontar uma letra para cada fonema.
– Ao escrever frases, pode usar uma letra para cada palavra.
CONFLITOS VIVIDOS PELA CRIANÇA NESTA ETAPA:
– A escrita está vincula à pronúncia das partes da palavra?
– Como ajustar a escrita à fala?
– Qual a quantidade mínima de letras necessárias para se escrever?
AVANÇOS:
– Atribuir valor sonoro às letras.
– Aceitar que não é preciso muitas letras para se escrever, apenas o necessário para representar a fala.
– Perceber que palavras diferentes são escritas com letras em ordens diferentes.
ATIVIDADES FAVORÁVEIS:
– Todas as atividades do nível anterior.
– Comparar e relacionar escritas de palavras diversas.
– Escrever pequenos textos memorizados (parlendas, poemas, músicas, trava-línguas…).
-Completar palavras com letras para evidenciar seu som: camelo =
c         m    l ou     a       e       o.
– Relacionar personagens a partir do nome escrito.
– Relacionar figura às palavras, através do reconhecimento da letra inicial.
-Ter contato com a escrita convencional em atividades significativas:
Reconhecer letras em um pequeno texto conhecido.
– Leitura de textos conhecidos.
– Relacionar textos memorizados com sua grafia.
-Cruzadinhas.
– Caça-palavras.
– Completar lacunas em textos e palavras.
       – Construir um dicionário ilustrado, desde que o tema seja significativo.
– Evidenciar rimas entre as palavras;
– Usar o alfabeto móvel para escritas significativas;
-Jogos variados para associar o desenho e seu nome;
– Colocar letras em ordem alfabética;
– Contar a quantidade de palavras de uma frase.
SILÁBICO-ALFABETICO: CARACTERÍSTICAS

– Compreende que a escrita representa os sons da fala;

– Percebe a necessidade de mais de uma letra para a maioria das sílabas;
– Reconhece o som das letras;
– Pode dar ênfase a escrita do som só das vogais ou só das consoantes:
bola= ao ou bl;
– Atribui o valor do fonema em algumas letras: cabelo = kblo.
CONFLITOS VIVIDOS PELA CRIANÇA NESTA ETAPA:
– Como fazer a escrita dela ser lida por outras pessoas?
– Como separar as palavras na escrita se isto não acontece na fala?
– Como adequar a escrita à quantidade mínima de caracteres?
AVANÇOS:
– Usar mais de uma letra para representar o fonema quando necessário;
– Atribuir o valor sonoro das letras.
ATIVIDADES FAVORÁVEIS:
– As mesmas do nível anterior;
– Separar as palavras de um texto memorizado;
– Generalizar os conhecimentos para escrever palavras que não conhece:
associar o “GA’ do nome da “GABRlELA’ para escrever “GAROTA’, “GA VETA’ … ;
– Ditado de palavras conhecidas;
– Produzir pequenos textos;
– Reescrever histórias.
ALFABÉTICO: CARACTERÍSTICAS

– Compreende a função social da escrita: comunicação;

– Conhece o valor sonoro de todas ou quase todas as letras;
– Apresenta estabilidade na escrita das palavras;
– Compreende que cada letra corresponde aos menores valores sonoros da sílaba;
– Procura adequar a escrita à fala;
– Faz leitura com ou sem imagem;
– Inicia preocupação com as questões ortográficas;
– Separa as palavras quando escreve frases;
– Produz textos de forma convencional.
CONFLITOS VIVIDOS PELA CRIANÇA NESTA ETAPA:
– Por que escrevemos de uma forma e falamos de outra?
– Como distingüir letras, sílabas e frases?
– Como aprender as convenções da língua escrita?
AVANÇOS:
– Preocupação com as questões ortográficas e textuais (parágrafo e pontuação).
-Usar a letra cursiva.
ATMDADES FAVORÁVEIS:
– Todas as anteriores;
– Leituras diversas;
– Escrita de listas de palavras que apresentem as mesmas regularidades
ortográficas em momentos em que isto seja significativo;
– Atividades a partir de um texto: leitura, localização de palavras ou frases;
ordenar o texto;
-jogos diversos como bingo de letras e palavras; forca …

Siga-nos no Facebook

Be the first to comment

Leave a comment

Your email address will not be published.


*