texto alternativo da imagem

O menino e a Rosa

Semana passada  quando minha filha chegou em casa dizendo que a professora disse que quem escrevesse o nome completo na atividade ficaria de castigo porque na sala há outros colegas que não sabem escrever nem o primeiro nome ainda; eu fiquei possessa… eu vi a pobrezinha da minha filha como este garotinho da mensagem; ela saiu de uma escola com 200 alunos e foi para outra com mais de 1000, tudo bem que a realidade da escola pública é difícil a professora tem uma turma com todos os níveis de criança possíveis para o 1º ano, sei que assim é muito dificil trabalhar, mas isso não dá a ela o direito de tirar a motivação de nenhuma criança… aí não!! Porque alguns não sabem os outros também não poderão evoluir? Onde se quer chegar desta forma? Perdoem se me exalto, ou se estou sendo antiética com minha própria classe, mas há pessoas que tem que repensar sobre sua posição, sua profissão… o que não se pode nunca é perder o amor o gosto pela arte de ensinar… Bom sabendo que eu teria muita diculdade com esta escola e esta professora ao longo do ano, troquei minha filha de escola e mandei esta mensagem para a professora.

Bem  Era uma vez um menininho bastante pequeno que contrastava com a escola bastante grande. Uma manhã, a professora disse: Hoje nós iremos fazer um desenho.
Que bom! – pensou o menininho. Ele gostava de desenhar leões, tigres, galinhas, vacas, trens e barcos… Pegou a sua caixa de lápis-de-cor e começou a desenhar. A professora então disse:
– Esperem, ainda não é hora de começar !
Ela esperou até que todos estivessem prontos. Agora, disse a professora, nós iremos desenhar flores. E o menininho começou a desenhar bonitas flores com seus lápis rosa, laranja e azul. A professora disse:
– Esperem ! Vou mostrar como fazer.
E a flor era vermelha com caule verde. Assim, disse a professora, agora vocês podem começar. O menininho olhou para a flor da professora, então olhou para a sua flor. Gostou mais da sua flor, mas não podia dizer isso… virou o papel e desenhou uma flor igual a da professora. Era vermelha com caule verde.
Num outro dia, quando o menininho estava em aula ao ar livre, a professora disse:
– Hoje nós iremos fazer alguma coisa com o barro.
Que bom !!!!. Pensou o menininho. Ele gostava de trabalhar com barro. Podia fazer com ele todos os tipos de coisas: elefantes, camundongos, carros e caminhões. Começou a juntar e amassar a sua bola de barro. Então, a professora disse:
– Esperem ! Não é hora de começar !
Ela esperou até que todos estivessem prontos. Agora, disse a professora, nós iremos fazer um prato. Que bom ! – pensou o menininho. Ele gostava de fazer pratos de todas as formas e tamanhos. A professora disse:
– Esperem ! Vou mostrar como se faz. Assim, agora vocês podem começar.
E o prato era um prato fundo. O menininho olhou para o prato da professora, olhou para o próprio prato e gostou mais do seu, mas ele não podia dizer isso. Amassou seu barro numa grande bola novamente e fez um prato fundo, igual ao da professora.
E muito cedo o menininho aprendeu a esperar e a olhar e a fazer as coisas exatamente como a professora. E muito cedo ele não fazia mais coisas por si próprio. Então aconteceu que o menininho teve que mudar de escola. Essa escola era ainda maior que a primeira. Um dia a professora disse:
– Hoje nós vamos fazer um desenho.
Que bom! – pensou o menininho e esperou que a professora dissesse o que fazer. Ela não disse. Apenas andava pela sala. Então veio até o menininho e disse:
– Você não quer desenhar ?
– Sim, e o que é que nós vamos fazer ?
– Eu não sei, até que você o faça.
– Como eu posso fazê-lo ?
– Da maneira que você gostar.
– E de que cor ?
– Se todo mundo fizer o mesmo desenho e usar as mesmas cores, como eu posso saber o desenho de cada um ?
– Eu não sei… E então o menininho começou a desenhar uma flor vermelha com o caule verde …

                                                                                                                                                                                 HELEM E. BUCKLEY

Siga-nos no Facebook

Readers Comments (2)

  1. Excelente mensagem, parabéns! A escola não precisa de profissionais de educação; precisa de professores que amem seus alunos.

  2. Excelente mensagem, parabéns! As escolas não precisam de profissionais de educação, precisam de professores que amem seus alunos.

Leave a comment

Your email address will not be published.


*